WILSON
BAPTISTA

1913 — 2014

 

Wilson Baptista (1913-2014)

Próximo de meados do século XX, mais precisamente no ano de 1929, o fotógrafo Wilson Baptista teve seu primeiro contato com a Fotografia, ao comprar de segunda mão sua primeira máquina, uma Kodak Brownie. Dez anos depois, em 1939, obteve o 1º prêmio de Fotografia do Salão Municipal de Belas Artes de Belo Horizonte, com um conjunto de fotografias sobre a capital mineira. No ano seguinte, em 1940 expôs no Salão Nacional promovido pelo Foto Clube Brasileiro, no Rio de Janeiro.

Trajetória Internacional

Em sua trajetória, foi um dos fundadores e primeiro presidente do Foto Clube de Minas Gerais. Teve fotografias expostas em salões da Alemanha, Espanha, Estados Unidos e Luanda. Em 1954 conquistou no Salão de Fotografia Desportiva de Rosário, Argentina, o Grande Prêmio, a taça de Melhor Fotografia de Atletismo e o Prêmio Consulado Brasileiro de Melhor Fotografia Brasileira. Obteve, também, medalhas e diplomas de honra em diversas exposições no Brasil.

No ano de 1987, nas comemorações dos 90 anos de Belo Horizonte, participou da exposição organizada pela Secretaria Estadual de Cultura no Museu Mineiro.

Publicações

Suas fotos foram publicadas nos livros Parque Municipal, Crônica de um Século, editado pela Companhia Vale do Rio Doce, em 1992, e Cenas de um Belo Horizonte, editado pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, em 1996. Um pôr de sol na Pampulha, fotografado por ele em 1951, foi utilizado em um dos postais publicados no evento Casa Cor de 1997.

Suas fotos de Belo Horizonte da década de 40 ilustraram o artigo Arquitetura Cidadã, da publicação Cadernos de Arquitetura, editada pela PUC Minas, em 1998.

Um ensaio com fotografias e um depoimento seu foi publicado na revista Aqui / Arquitetura e Cultura, editada pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil / Seção Minas Gerais, em outubro de 1999.

Principais exposições individuais e coletivas

Em outubro de 2000, apresentou sua exposição Wilson Baptista: Fotografias no Instituto dos Arquitetos do Brasil, em Belo Horizonte. A mostra é uma retrospectiva formada por retratos, paisagens, abstrações e cenas urbanas tomadas entre as décadas de 30 e 60, num total de 34 fotografias.

No mês de maio de 2001 teve fotografias suas expostas no “Integrado de Arquitetura e Urbanismo”, promovido pelas várias Faculdades de Arquitetura (públicas e privadas) sediadas em Belo Horizonte.

Retrospectiva

A Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte realizou na Casa do Baile, em outubro de 2007, a exposição “Diálogos nos Tempos da Fotografia”. Tratou-se de uma grande retrospectiva do trabalho de Wilson Baptista em um diálogo com parte da produção fotográfica contemporânea de Minas Gerais, incluindo ao vídeo-documentário “Diálogos com Wilson Baptista”. A exposição incluiu cerca de 40 fotografias de Wilson Baptista, realizadas entre as décadas de 1920 e 1960. Houve também fotografias de nove fotógrafos mineiros contemporâneos abordando temas relacionados ao trabalho de Wilson.

2012 participou da mostra coletiva “Segue-se ver o que quisesse”, realizada pela Fundação Clóvis Salgado, em Belo Horizonte, com curadoria de Joerg Bader.

Em 2013, aos cem anos de idade, participou da mostra coletiva “Escavar o Futuro”, também realizada pela Fundação Clóvis Salgado, com curadoria de Renata Marquez e Felipe Scovino.

Suas fotografias foram expostas em 2015 nas mostras coletivas “Habitáculo”, promovida pelo Cine Theatro Brasil Vallourec, e “Horizonte Moderno”. Esta exposição foi realizada pelo Centro Cultural do Minas Tênis Clube, ambas com curadoria de Fabíola Moulin e Marconi Drummond.

2017 participou da mostra individual “Projeto Wilson Baptista”, realizada pela galeria Periscópio Arte Contemporânea, em Belo Horizonte Brasil.

2018 participou da mostra coletiva “Olhar instantâneo”, realizada pela galeria Periscópio Arte Contemporânea, em Belo Horizonte Brasil.

E em 2019 participou da mostra individual “Urbano fotográfico”, realizada na Casa da Fotografia de Minas Gerais.

Pin It on Pinterest

Share This