THIAGO MARTINS
DE MELO

1981 — São Luís / MA
Vive e trabalha em São Luís / MA

Thiago Martins de Melo recorre à memória cultural, por um meio dotado de historicidade como a pintura e reinventa, na contemporaneidade, personagens históricas, populações culturalmente diversas e entidades espirituais brasileiras, camponesas, míticas, indígenas e negras. Tais personagens são chamadas a retornar ao campo de batalha nas telas, comunicando sua luta e história. O artista vive e trabalha entre São Luis e Campinas. Participou da 31ª Bienal de São Paulo, SP, e da 12ª Biennale de Lyon, França.

“As pinturas de Thiago Martins de Melo fazem um barroco próprio, anacrônico e anárquico. No lugar do chiaroscuro, cores vibrantes e camadas espessas dão luz a uma distopia tropical: surgem cenários e situações ocupadas pelo que há de mais nefasto debaixo do céu, mas também por uma energia ancestral que se faz sentir em toda luta de quem resiste. No lugar das esferas de protagonismo e da distribuição clássica de papéis, muitas vozes antes condenadas às margens revelam suas potências num coral caótico. Nessas conjunturas complexas, também não se afirmam maniqueísmos e outros binarismos, mas um maquinário histórico confuso e impiedoso. No lugar das leituras bíblicas e outros cânones ocidentais, a sabedoria popular, as práticas das selvas, dos campos e das ruas de sempre. No lugar do pensamento iluminista, se pensa também com o corpo, com o cu. Há arte e guerra, cálculo e misticismo, presságio e documentação. Elencam-se, é claro, tragédias de todas as escalas, mas que não impedem o rompante vital de formas de vida e de diversas imaginações.” (grifo de Germano Duschá, curador)

Pin It on Pinterest

Share This