QUEM SOMOS

A PERISCÓPIO

Quando a galeria precisou de um nome para se constituir, o Artista e professor da Belas Artes – UFMG Marcelo Drummond apresentou o nome Periscópio. Causou estranhamento a todos, pois a palavra era desritmada, era comprida de mais e naquele momento não se conectava a arte contemporânea . Esse substantivo masculino, de dez letras e cinco silabas era desconfortável. Mas as lembranças da infância e a instalação de Guto Lacaz no Arte Cidade II fizeram tomar gosto pela nome. Logo o “Aparelho óptico, formado de lentes e prismas de reflexão total, que permite ver por cima de um obstáculo.” fundiu-se ao conceito arte como disciplina capaz de“ transformar nossa forma de pensar” citando Volz, Jochem. Quando você está aqui e enxerga lá.

Em sua aplicação prática, o periscópio é um instrumento que visa oferecer uma visão para além do que está submerso, e por cima de obstáculos e barreiras. A Periscópio Arte Contemporânea já nasceu com a vocação de levar o espectador para uma outra dimensão no pensar, levar o olhar para outros limites.

O imóvel passou por uma grande restauração para que o espaço fosse incluído como um dos aparelhos culturais da cidade. Nosso objetivo é oferecer um ambiente acolhedor e diferenciado para artistas, colecionadores, estudiosos e também ao público apreciador de arte e manifestações culturais de qualidade, catalisando encontros e proporcionando oportunidades para quem tem na arte contemporânea um tema de interesse. Mesclando ambientes para as artes, este espaço cultural da capital mineira está instalado num casarão da década de 20, localizado na Avenida Álvares Cabral, 534, Lourdes, entre Ruas Espírito Santo e Rio de Janeiro, e projetado por Oscar Negrão de Lima. O imóvel atualmente é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Municipal e a vizinhança é nobre, a galeria fica ao lado do Museu da Imagem e do Som (MIS).