Marcone Moreira - Todos os Tempos

O artista Marcone Moreira vem construindo uma carreira artística com muita pulsão e poesia, que são trunfos de suas criações.

Suas obras transitam por experiências que lidam com o vasto mundo rotineiro e, por isso mesmo, dificilmente podem ser tachadas de simples esculturas, fotografias, desenhos, vídeos , pinturas ou qualquer outro tipo artístico. Antes que alguém reclame: isso é muito bom.

A obra do Marcone faz lembrar a construção de um “museu”, no sentido de guardar, cuidar, exibir e trazer para superfície todos os tempos ao mesmo tempo. Assim é a sua criação. Tudo já existia e tudo já tinha seu peso histórico, suas lembranças e seus cheiros. Porém, só agora, com o trabalho do artista, esse objeto tem um novo sentido. Estamos falando de uma nova memória do futuro… ele consegue isso fielmente, criando uma surpresa ao nosso olhar! E permite voltar a sonhar e atiça nossos olhos (essa é a sensação que nos proporciona uma boa obra de “arte”): em sua obra há um mundo com sentido que nos leva a experimentar um novo cotidiano e descobrir uma poesiavida em cada criação.

A inspiração do artista vem “das viagens, das lembranças da cidade, e da vida”, que reivindicam sua força, seu vigor e expõem uma identidade em comum. É na rua, nas esquinas, nos portos e caçambas que ele encontra sua matéria prima. O processo de criação do artista tem requinte e, por isso mesmo, surpreende com a sofisticação do resultado final da sua investigação na construção de uma obra linear.

Suas esculturas, a naturezamadeira da sua arte, tem um ponto de vista da filosofia e da subjetividade. Há ênfase nos sentimentos trazidos da relação do homem com objeto construído. Percebemos as emoções e a identidade de cada obra construída, a beleza, equilíbrio, movimento e forma.

Em seu trabalho percebemos um novo desafio, há um homem do tempo presente… ou de todos os tempos, que o artista, em seu processo criativo, resgata para contar sua história.